Encontrado Roxo Tyrian excepcionalmente raro em Carlisle

Numa descoberta arqueológica sem precedentes, pesquisadores em Carlisle, Inglaterra, desenterraram um fragmento de tinta roxa de Tiro, um artefato tão raro e valioso que redefine nossa compreensão das conexões imperiais do antigo assentamento romano de Luguvalium.

Este achado, o primeiro do seu tipo no norte da Europa e talvez no Império Romano inteiro, não é apenas um testemunho da riqueza e prestígio da elite romana, mas também uma ponte direta para as tradições e estéticas de uma era dourada.

O sítio arqueológico em questão está localizado nos terrenos do Carlisle Cricket Club, onde as fundações de um antigo balneário romano têm sido meticulosamente escavadas. Durante as obras de drenagem, os arqueólogos encontraram o pigmento dentro de uma estrutura que se acredita ser uma casa de banhos, remontando ao século III, durante o reinado do imperador Septímio Severo.

Conhecido como “roxo imperial”, este corante era extremamente valioso na Roma antiga, onde simbolizava autoridade, riqueza e status imperial. Produzido com grande dificuldade a partir do esmagamento de milhares de caracóis marinhos, o roxo de Tiro era mais precioso que o ouro, adornando as vestes de reis e imperadores desde a Idade do Bronze até o período bizantino.

Especialistas da Universidade de Newcastle e da Sociedade Geológica Britânica analisaram o pigmento, confirmando sua autenticidade através de altos teores de bromo e vestígios de cera de abelha. A raridade de encontrar a púrpura de Tiro em estado sólido eleva significativamente a importância deste achado, sugerindo que Carlisle poderia ter sido um local de significativa importância estratégica e cultural no Império Romano.

A descoberta coincide com outras evidências arqueológicas que sugerem uma forte presença imperial em Carlisle durante as campanhas de Septímio Severo na Escócia. A inscrição em uma pedra dedicada à Imperatriz Julia Domna e a grandiosidade do edifício sugerem que este local não era apenas uma casa de banhos, mas um ponto de encontro para a elite romana e, possivelmente, a própria corte imperial.

A descoberta da tinta roxa de Tiro em Carlisle abre novas avenidas para a pesquisa arqueológica, prometendo uma revisão das teorias existentes sobre as rotas comerciais e a influência cultural no extremo norte do Império Romano.

Este achado também reitera a necessidade de uma investigação mais profunda sobre como os materiais de luxo circulavam e eram utilizados pelos romanos para projetar seu poder e status.

descoberta da tinta roxa de Tiro em Carlisle é um marco na arqueologia romana e um lembrete fascinante da complexidade e do alcance do Império Romano. Através deste pequeno fragmento de pigmento, somos transportados de volta a uma época em que a cor poderia representar poder, influência e riqueza imensurável.

Leia mais:

10 cidades antigas que guardam monumentos milenares

As maravilhas deixadas pelas civilizações perdidas

O mistério por trás das pirâmides da antiguidade alinhadas ao universo

...