Programa SUS Digital tem adesão de 100% dos municípios paranaenses

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) formou um grupo de trabalho para a elaboração do plano de implantação do Programa SUS Digital no Paraná. Com a adesão dos 399 municípios, o programa da Secretaria de Informação e Saúde Digital (SEIDIGI), do Ministério da Saúde (MS), tem o objetivo de ampliar a acessibilidade da população aos serviços e ações da área em todo País.

Inicialmente, o governo federal repassou ao Paraná cerca de R$ 4,1 milhões de incentivo para a elaboração dos Planos de Ação de Transformação para a Saúde Digital (PA Saúde Digital) das quatro macrorregiões e municípios. Esse plano passa por três etapas: o diagnóstico situacional do território, o estabelecimento do grau de maturidade digital com base na aplicação do Índice Nacional de Maturidade em Saúde Digital (INMSD), além da análise do diagnóstico situacional do território e das recomendações decorrentes da aplicação do INMSD.

“Este é um programa de extrema importância, pois além de aproximar o cidadão dos serviços de saúde, tem o objetivo de incorporar novas tecnologias na Rede de Atenção à Saúde em todos os níveis do SUS, envolvendo atividades de planejamento, monitoramento, avaliação, pesquisa, desenvolvimento e inovação em saúde”, explicou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

O programa busca criar um ambiente colaborativo entre os diversos atores do SUS, capaz de garantir o aprimoramento da gestão, por meio da transformação digital. Ele abrange desde sistemas de informação, registro eletrônico de dados de saúde, aplicação da ciência de dados, inteligência artificial, Telessaúde, telemedicina, aplicações móveis de saúde, dispositivos vestíveis, até robótica aplicada e medicina personalizada, voltados ao setor de saúde.

TELESSAÚDE 

 Um dos domínios avaliados no INMSD do Estado e municípios será o Telessaúde, que corresponde a ações que utilizam recursos de Tecnologias da Informação e da Comunicação para promover o cuidado em saúde entre todos os níveis de atenção no âmbito do SUS.

No Paraná, o Núcleo Estadual de Telessaúde foi instituído pela Sesa, por meio da Resolução 1048/2019, e desde então oferece ações de telediagnóstico em dermatologia e eletrocardiograma por intermédio da Oferta Nacional de Telediagnóstico do Ministério da Saúde para os municípios da 1ª Regional de Saúde. Desde a implantação já foram realizados 1.521 laudos de lesões de pele e 59.828 laudos de eletrocardiograma para os municípios de Antonina, Guaraqueçaba, Guaratuba, Matinhos, Morretes, Paranaguá e Pontal do Paraná.

Com relação ao telediagnóstico, cerca de 36% dos casos de lesão de pele identificados foram tratados nas unidades da Atenção Primária à Saúde (APS), evitando o encaminhamento para uma consulta presencial com dermatologista.

A Sesa também iniciou neste ano a expansão do telediagnóstico em dermatologia para os 18 municípios da 20ª RS de Toledo, quando promoveu um treinamento para 46 profissionais para registro fotográfico de lesões de pele, por meio do equipamento dermatoscópio, e para 35 médicos das unidades de saúde para solicitação do exame de pele.

Os exames são avaliados por médicos dermatologistas em até 72 horas e os laudos feitos com a classificação de risco da lesão para direcionar o cuidado, indicando a necessidade de tratamento na atenção primária ou encaminhamento para consulta presencial.

Foi iniciada também a expansão do telediagnóstico em eletrocardiograma para os 77 municípios das regiões de Toledo, Pato Branco, Telêmaco Borba, Ivaiporã e Londrina. Esses exames serão realizados nos serviços de saúde e enviados via sistema. Os laudos serão emitidos por cardiologistas em até duas horas nos exames eletivos e em até 10 minutos nas situações de urgência e emergência.

Foto: SESA

Leia mais

Copom decide nesta quarta corte dos juros básicos da economia

Vereadores cerqueirenses aprovavam repasse de veículo para o Corpo de Bombeiros

...