Encontrada uma tumba antiga de 2 mil anos protegidas por cabeças de touro

Em um canto remoto da Turquia moderna, perto da vila de Kuyulu, arqueólogos fizeram uma descoberta que está ecoando através dos milênios. Na antiga cidade de Tharsa, um cemitério familiar romano, longamente escondido sob camadas de história e terra, está revelando segredos surpreendentes.

As escavações, que começaram em 2021, trouxeram à luz as Tumbas de Pedra de Turuş, adornadas com duas cabeças de touro que guardam a entrada para a eternidade. Esta descoberta não apenas fornece novas informações sobre as práticas funerárias romanas, mas também destaca a importância simbólica dos touros na antiguidade.

Em 2021, arqueólogos iniciaram uma série de escavações na antiga cidade de Tharsa, uma área rica em história e mistérios. Entre as descobertas mais impressionantes está um conjunto de tumbas de pedra, agora conhecidas como Tumbas de Pedra de Turuş. Localizadas ao longo da rodovia Adıyaman-Şanlıurfa, essas tumbas esculpidas diretamente na rocha descem entre 10 a 13 degraus para revelar câmaras funerárias adornadas com figuras e relevos intricados.

No entanto, o que realmente chama a atenção são as duas grandes cabeças de touro que flanqueiam a entrada de uma dessas tumbas. Olhando de frente para os visitantes, essas cabeças parecem guardar os segredos dos mortos, imbuídas de significados espirituais e simbólicos.

Na cultura romana, o touro era um símbolo poderoso associado ao deus Júpiter, representando força, poder e imprevisibilidade. As cabeças de touro descobertas em Tharsa não são apenas elementos decorativos; elas desempenhavam um papel espiritual significativo. Os arqueólogos acreditam que essas figuras foram incluídas para proteger os mortos de espíritos malignos, garantindo uma passagem segura para a vida após a morte.

Essa crença está profundamente enraizada na cultura romana e também em outras civilizações antigas. Em Atenas, por exemplo, o touro era um símbolo de força e poder, frequentemente representado em moedas. Na cunhagem romana, o touro simbolizava força e fertilidade, muitas vezes associado ao deus Marte. Esses significados destacam a importância do touro como um guardião e um símbolo de poder duradouro.

A descoberta das Tumbas de Pedra de Turuş adicionou duas novas tumbas às 60 previamente desenterradas em Tharsa. Mustafa Çelik, vice-diretor do Museu Adıyaman, explicou que as escavações recentes revelaram uma câmara principal com três arcossólios, adornada com bucrania (cabeças de touro) e elementos decorativos como guirlandas e rosetas.

Essas tumbas não são apenas locais de descanso para os mortos, mas também oferecem uma janela para o passado, proporcionando insights sobre as práticas funerárias romanas e a importância dos rituais de proteção. As bucrania, em particular, tinham um significado protetor, acreditava-se que seus poderes purificadores poderiam afastar os espíritos malignos.

As práticas funerárias romanas eram ricas e complexas, evoluindo ao longo dos séculos. No início da República Romana, a cremação era a prática predominante, com as cinzas dos mortos sendo recolhidas em urnas. No entanto, à medida que o Império Romano se expandiu, absorvendo diversas culturas, a inumação tornou-se mais comum a partir do século II d.C.

Os ritos funerários romanos incluíam procissões solenes até o local de enterro, onde vários rituais e oferendas eram realizados para honrar os mortos e garantir uma transição tranquila para a vida após a morte. Essas procissões podiam ser elaboradas, envolvendo familiares, amigos e até lamentadores profissionais. As famílias mais ricas frequentemente contratavam músicos e exibiam máscaras ancestrais para enfatizar o status e a linhagem do falecido.

A descoberta das Tumbas de Pedra de Turuş é significativa não apenas pela sua antiguidade, mas pelo que revela sobre a sociedade romana e suas crenças. As cabeças de touro, em particular, destacam a importância do simbolismo e da proteção espiritual. A robustez e a presença formidável dos touros nas tumbas refletem a força e a resiliência que os romanos valorizavam.

Além disso, essas descobertas têm o potencial de transformar a área em um importante centro de turismo. Arqueólogos e historiadores estão trabalhando ativamente para preservar e promover esse patrimônio, oferecendo ao mundo uma oportunidade de testemunhar a rica tapeçaria da história romana.

A antiga cidade de Tharsa, com suas tumbas adornadas por cabeças de touro, oferece um vislumbre fascinante das práticas funerárias e das crenças espirituais romanas. A descoberta das Tumbas de Pedra de Turuş não apenas enriquece nosso entendimento sobre o passado, mas também destaca a importância da preservação do patrimônio histórico.



...