Descoberta arqueológica notável revela ferramentas de caça da antiguidade

Uma descoberta significativa foi feita na Cueva del Tesoro, em Cadereyta de Montes, Querétaro, México. Arqueólogos recuperaram um conjunto raro de instrumentos de caça pré-hispânicos, incluindo um atlatl (lança) e dois dardos de madeira, datados do século I d.C. Esta descoberta, registrada por membros da Associação de Espeleólogos de Querétaro, oferece um vislumbre fascinante das práticas de caça e vida cotidiana das civilizações antigas do México.

A descoberta ocorreu durante uma expedição espeleológica liderada por especialistas do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH), incluindo Carlos Viramontes Anzures, Jesús Eduardo Medina Villalobos e Ricardo Leonel Cruz Jiménez. A equipe, guiada por Paulo Campos, um espeleólogo português, navegou por uma intrincada ravina até a caverna, situada a 200 metros acima do fundo da ravina, e seguiu por uma passagem estreita para chegar à galeria onde os artefatos foram encontrados.

Dentro da galeria, com altura média de apenas 80 centímetros, os arqueólogos descobriram um atlatl de 51,5 centímetros, dois dardos fragmentados e um par de toras culturalmente modificadas. Estes objetos, meticulosamente recuperados e preservados, foram transportados para o Centro INAH Querétaro para estudos futuros e exibição.

As análises das amostras, incluindo a datação por radiocarbono realizada no Laboratório de Espectrometria de Massa com Aceleradores da UNAM, revelaram que os itens datam de um período entre 7 e 132 d.C. A secura da Cueva del Tesouro permitiu a preservação desses objetos durante quase dois milênios.

A descoberta desses instrumentos de caça é um testemunho valioso das sociedades que habitaram o semideserto de Querétaro e Guanajuato por nove mil anos. O arqueólogo Viramontes destaca a importância de considerar esses achados no contexto mais amplo da história regional, que inclui mais de 260 sítios de arte rupestre.

A descoberta na Cueva del Tesoro é um marco na arqueologia pré-hispânica do México, oferecendo uma janela para o entendimento das práticas de caça e coleta das antigas sociedades nômades. Esses artefatos não apenas enriquecem nosso conhecimento sobre o passado pré-hispânico, mas também destacam a importância de preservar e estudar tais tesouros culturais. Com a exposição iminente desses objetos no Museu Regional de Querétaro, o público terá a oportunidade de se conectar com um legado que moldou a história e a cultura da região.

Veja alguns textos que podem te interessar?

...