A literatura russa em 7 clássicos de até 200 páginas

A literatura russa é visceral e desde os velhos magos russos, Tolstói e Dostoiévski que o mundo se apaixou pela construção vibrante das narrativas filosóficas eslavas.

Repleta de obras profundas, muitas vezes encarnadas em volumes robustos de texto, como Guerra e Paz, com suas 1500 páginas.

No entanto, existem joias literárias que oferecem a essência do pensamento e da arte russa em menos de 200 páginas. Neste mundo de hoje, acelerado e objetivo, pensando em oferecer uma lista de bons clássicos russos que são finos, que talvez te leve, leitor, a se emaranhar nas letras da literatura russa.

Aqui estão sete clássicos russos que condensam uma grandeza imensa em uma forma compacta, permitindo uma leitura mais acessível sem perder a riqueza de conteúdo.

Esperamos que pelo menos algum destes livros sugeridos te mova do lugar, ou, te fixe no lugar, para uma leitura fascinante. “приятного чтения”

1. “A morte de Ivan Ilitch” – Lev Tolstói

Com não mais que 100 páginas, esta novela breve de Tolstói explora a vida e a morte de Ivan Ilitch, um juiz de alta estatura que enfrenta sua mortalidade após um diagnóstico terminal.

Através de suas páginas, Tolstói examina a crise existencial e o isolamento humano, fazendo desta obra uma reflexão intensa sobre a vida e o sentido da morte. Na Amazon, você encontra este livro em versões para qualquer valor, desde 13 reais até 50.

2. “O Capote” – Nikolai Gogol

“O Capote” é uma das obras mais famosas de Gogol e uma crítica mordaz à burocracia de São Petersburgo. A história segue Akaki Akakievich, um humilde funcionário público cuja vida muda drasticamente após a perda de seu precioso capote.

Esta obra é fundamental para entender o realismo social na literatura russa.

3. “Um dia na vida de Ivan Denisovich” – Aleksandr Soljenítsin

Soljenítsin oferece um relato visceral da vida em um campo de trabalho soviético através de seu protagonista, Ivan Denisovich Shukhov.

Um testemunho poderoso das condições brutais nos gulags e uma exploração da resistência humana e da luta pela dignidade sob opressão extrema.

4. “Notas do subsolo” – Fiódor Dostoiévski

Nesta novela, Dostoiévski apresenta um narrador desiludido que se retira para a miséria de seu subterrâneo.

É uma profunda exploração psicológica de um homem em conflito com a sociedade e consigo mesmo, criticando as noções emergentes de racionalidade e utopia científica.

5. “A dama do cachorrinho” – Anton Tchekhov

Esta famosa história curta de Tchekhov narra o caso amoroso entre Dmitri Gurov e Anna Sergeyevna, ambos casados, que se encontram em Yalta. Tchekhov é mestre em capturar a complexidade das emoções humanas e os dilemas morais, tudo entrelaçado com a crítica da sociedade.

Este livros você encontra na versão da Editora 34, com mais de 300 páginas, mas outras editoras condensaram o texto, deixando o livro em aproximadamente 200 páginas.

6. “O Natal de um homem de consciência” – Lev Tolstói

Este conto menos conhecido de Tolstói mergulha na vida de um proprietário de terras que enfrenta uma crise de consciência durante a época natalina.

É uma reflexão sobre a responsabilidade social e pessoal, apresentada com a característica moralidade de Tolstói.

7. “Sonhos” – Fiódor Dostoiévski

Embora menos célebre que suas grandes novelas, “Sonhos” é uma obra que reflete sobre questões de justiça e moralidade através do sonho de um homem.

Dostoiévski utiliza a narrativa para explorar os limites da ética e a natureza humana.

Conclusão

Estes clássicos russos em formato breve são testemunhos da habilidade dos mestres russos em capturar a essência da condição humana, cada um com seu estilo único e perspectiva intransigente.

Eles são perfeitos para aqueles que procuram mergulhar na literatura russa sem o compromisso de volumes extensos, mas ainda desejam uma experiência literária profunda e significativa.

Leia mais:

Os 100 melhores livros da literatura mundial do séc. 20

Os 15 livros da literatura que todos deveriam ler

10 livros com Prêmio Nobel essenciais para pessoas inteligentes

...