Sicoob promove ações de solidariedade e adota medidas emergenciais de apoio aos cooperados

O Rio Grande do Sul vive dias muito difíceis, consequências devastadoras das cheias que atingem todo Estado. Muita destruição e perdas irreparáveis afligem o povo gaúcho e, diante disso tudo, o Sicoob mobiliza ações de solidariedade à sociedade e de apoio aos seus cooperados.

O presidente do Sicoob São Miguel, Edemar Fronchetti, acompanhado do diretor comercial da cooperativa, Marcelo Trevisan, deslocaram-se do Oeste catarinense ao Rio Grande do Sul para acompanhar de perto as necessidades locais. Eles estão visitando todas as 20 agências da cooperativa no Estado, com atenção especial às áreas atingidas pelas enchentes, conferindo in loco quais são as principais carências nesses municípios a partir de relatos dos associados, funcionários e lideranças locais.

O roteiro iniciou na última semana pela Região Noroeste e Vale do Taquari, retomando nesta terça-feira (14) na agência de Lajeado, município que foi duramente atingido pelas cheias do Rio Taquari. O roteiro seguiu na quarta-feira em Teutônia e depois pelas unidades da cooperativa na Serra e no Vale do Caí.

“O Sicoob abriu duas frentes de trabalho diante desse cenário de dificuldade. A primeira, que arrecada fundos e que destina doações em cestas básicas, materiais de higiene e limpeza para auxiliar essas famílias e empresários; e a segunda já pensando na vida futura dessas pessoas, com linhas de crédito especiais e outros benefícios para as pessoas que precisam recomeçar a vida e reconstruir suas propriedades e negócios. Concomitantemente a isso, trabalhamos com a repactuação para quem já tinha crédito contratado e teve que parar suas atividades, uma realidade que encontramos muito aqui no Vale do Taquari”, ressalta Fronchetti.

O presidente acrescenta que não serão feitos “pacotes”, mas negociações individualizadas, a exemplo do que ocorreu no período de dificuldades impostas pela pandemia. “Ao analisarmos caso a caso, certamente teremos mais trabalho, mas ao mesmo tempo seremos muito mais assertivos, equacionando com as entidades regulatórias a desburocratização desse processo, assim como buscando a habilitação do Sicoob para linhas de crédito disponibilizadas pelo governo. O desejo é de que todos consigam retomar suas vidas, torcendo para que os rios não nos visitem mais tão rapidamente. É preciso muita força para que as pessoas sigam em frente, e o Sicoob quer ser um parceiro para ajudar nesta reconstrução, com os cooperados nos indicando suas necessidades e a cooperativa se adaptando à essa realidade com soluções possíveis”, acrescenta, visivelmente emocionado.

Leia mais

SC vai receber R$ 95 milhões de emenda para enfrentar enchentes

Dionísio Cerqueira reforça segurança com treinamento contra incêndios

...