Santa Catarina se destaca na promoção de saúde e prevenção de doenças

Investimentos constantes e significativos tornam Santa Catarina um Estado destaque quando o assunto é saúde. Os recursos, utilizados tanto para o fortalecimento da infraestrutura hospitalar e de unidades básicas, como para a formação continuada dos profissionais e em campanhas de prevenção e conscientização, têm melhorado o acesso dos catarinenses a serviços de qualidade, com ampliação da capacidade de atendimento e redução do tempo de espera em filas para procedimentos.

Para isso, são implementadas diversas estratégias: uma delas é a descentralização do acesso, com serviços de saúde sendo oferecidos em todas as regiões, inclusive naquelas mais afastadas dos centros urbanos, garantindo assistência médica para a população.

Desde a Atenção Primária até a Média e Alta Complexidade, os catarinenses são atendidos em todo o Estado. O trabalho, desempenhado por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), garante acesso a vacinas, consultas, cirurgias complexas e atendimentos continuados. Essa capilarização do serviço, é possível com os 13 hospitais, geridos pelo governo estadual, e contratos com 123 hospitais para a manutenção de leitos e serviços por meio do SUS.

Outra tática envolve fornecer às cidades o recurso adequado para manutenção e ampliação da infraestrutura. Recentemente, o setor recebeu um valor histórico para atender a demanda de hospitais e unidades de saúde em diferentes regiões de Santa Catarina.

Os recursos são importantes para melhoria e modernização dos espaços que atendem a população. Parte desse dinheiro, por exemplo, servirá para a construção de novas estruturas, como é o caso do Instituto de Cardiologia do Hospital Municipal São José, em Joinville, de um hospital em Araquari, e de duas unidades básicas de saúde em Imaruí. Além dos espaços físicos, há uma preocupação constante com a aquisição de equipamentos melhores e mais atuais.

Formação continuada na saúde em SC

Apesar da necessidade inquestionável de investimentos em melhoria e atualização da infraestrutura hospitalar e da rede básica, é com atenção aos profissionais que o setor avança. A formação de pessoas cada vez mais capacitadas para atuarem no atendimento aos catarinenses, revela porque Santa Catarina é um destaque na área da saúde.

Para se manter como referência em doação de órgãos no Brasil e na América Latina, o Estado oferta capacitações regulares para os profissionais envolvidos no processo de transplantes. Os cursos, promovidos pela Secretaria de Estado da Saúde, orientam coordenadores hospitalares sobre aspectos detalhados relacionados à doação de órgãos e tecidos para transplante. Esse empenho se reflete no registro histórico de notificações de possíveis doadores em 2022. O ano também quebrou a marca em número de transplantes, com 1.521 procedimentos realizados.

Em outra ponta, na formação de especialistas em saúde comunitária, a formação ocorre por meio do Programa de Fomento à Especialização Profissional para Atenção Primária à Saúde em 40 municípios. Nele, profissionais de diversas áreas, como médicos, enfermeiros, nutricionistas e psicólogos, que fazem parte da rede de atenção básica, recebem bolsas de estudo para cursos de pós-graduação com extensão nas comunidades, por meio de ações práticas em contato direto com a população.

SC fortalece a prevenção em saúde

O cuidado à saúde começa na prevenção à doenças e promoção da saúde com a implementação de iniciativas de conscientização da população e estímulo à adoção de hábitos saudáveis. Em Santa Catarina isso não tem sido diferente.

Ações que englobam o cuidado com saúde mental, prevenção de doenças crônicas, combate ao tabagismo, promoção da atividade física, alimentação saudável e vacinação, posicionam o Estado entre os que concentram as menores taxas de mortalidade infantil e expectativa de vida mais longeva no país. Soma-se a isso, ações de combate e prevenção a doenças como dengue, febre amarela, tuberculose e HIV/AIDS, que contribuem para a melhoria dos indicadores de saúde e para uma população mais saudável.

A cobertura vacinal no Estado, por exemplo, cresceu e a meta para proteção de crianças com a aplicação da tríplice viral foi alcançada. A vacina protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola. O esforço em manter a caderneta de vacinação dos catarinenses sempre atualizada é uma tentativa de evitar o surgimento de doenças, reduzir a incidência de enfermidades que demandam o sistema de saúde e promover hábitos saudáveis na população.

Unir educação e saúde é outra estratégia adotada em Santa Catarina para melhorar os índices no setor. Pela primeira vez em 15 anos, os 295 municípios do Estado confirmaram a adesão ao Programa Saúde na Escola (PSE) para o ciclo 2023-2024. Direcionado aos estudantes da rede de ensino, o programa desenvolve ações de incentivo e orientação sobre alimentação saudável, prevenção de doenças e de uso de drogas e o estímulo à atividade física, atualização de vacinas e atividades de saúde geral.

...