Saiba como lidar com seu pet: as 7 diferenças entre cachorros machos e fêmeas

A escolha de adotar um cachorro é uma decisão que requer uma compreensão cuidadosa das diferenças inerentes a cada gênero. Tanto os machos quanto as fêmeas apresentam distinções comportamentais, físicas e de saúde que podem influenciar significativamente a dinâmica da convivência com esses adoráveis companheiros de quatro patas. A seguir, vamos explorar sete aspectos que diferenciam os cachorros machos das fêmeas.

Comportamento de marcação territorial

Uma das diferenças mais notáveis entre cachorros machos e fêmeas é o comportamento de marcação territorial. Os machos têm uma tendência natural a levantar a perna para urinar, marcando o território. Esse comportamento é menos comum em fêmeas, que tendem a fazer xixi de forma mais discreta. É importante notar que esse tipo de atitude dos machos pode desaparecer com a castração.

Interações sociais

Quando se trata de interações sociais, os cachorros machos podem ser mais dominantes e assertivos, especialmente em suas interações com outros machos. Por outro lado, as fêmeas geralmente adotam um estilo de socialização mais cooperativo e podem ser mais tolerantes com outros cães.

Ciclo menstrual

Uma diferença fundamental é que os cachorros machos não passam por ciclos menstruais, o que elimina a preocupação com sangramento. Já as fêmeas entram no cio duas vezes por ano, requerendo atenção extra durante esse período. A veterinária Aline Brasil explica que algumas cadelas são mais discretas no sangramento, constantemente se lambendo, enquanto outras podem apresentar um fluxo mais intenso. A castração também é uma opção para cessar o cio.

Tamanho e peso

Os machos tendem a ser ligeiramente maiores e mais pesados do que as fêmeas da mesma raça. Isso se deve à presença de testosterona, que é produzida em maior quantidade durante o desenvolvimento e geralmente resulta em um crescimento mais robusto e muscular.

Necessidades de exercício

Cachorros machos costumam ter níveis de energia mais elevados e, portanto, requerem mais exercícios físicos para se manterem satisfeitos. Por outro lado, as fêmeas podem ser mais moderadas em suas necessidades de exercício, embora isso também dependa da raça e do animal.

Tendência à dominância

Alguns machos podem exibir comportamentos dominantes, o que pode exigir treinamento adicional para garantir obediência. A testosterona desempenha um papel na expressão dessas características, como a busca por liderança em interações sociais e comportamentos territorialistas.

Instinto protetor

Cachorros machos tendem a exibir um instinto protetor mais pronunciado, sendo mais vigilantes em relação ao território. No entanto, as fêmeas também possuem um forte instinto protetor, especialmente durante a gestação e no cuidado com os filhotes.

...