Por que nunca vimos um pombo filhote pela cidade?

Você já se perguntou por que não vemos filhotes de pombos pelas ruas das cidades? Embora pareça um mistério, a ciência tem as respostas para desvendar esse fenômeno. Em entrevista ao Terra, Allan Pscheidt, professor e biólogo da FMU, explicou que uma das características dos pombos Columba livia, como são chamados cientificamente, é manter os filhotes em áreas isoladas.

O ciclo de vida desses pássaros

Os filhotes de pombos costumam permanecer no ninho por aproximadamente 40 dias. Durante esse período, eles desenvolvem suas penas e crescem sob os cuidados dos pais, saindo do ninho com uma coloração semelhante à dos adultos. No entanto, ainda não possuem as características distintivas, como as manchas coloridas, que se desenvolvem ao longo do tempo.

A espécie Columba livia é conhecida por construir seus ninhos em áreas montanhosas, onde os filhotes podem ser protegidos. Nas cidades, encontram refúgio em locais como viadutos, buracos em concreto, árvores em praças e telhados. Cada ninhada de pombo pode conter cerca de dois ovos, com a possibilidade de chegar a seis por ano.

Alimentação e desenvolvimento

Durante o período em que permanecem nos ninhos, os filhotes são alimentados pelos pais com uma mistura energética rica em gorduras e proteínas, além de vitaminas e minerais. Essa alimentação é fornecida diretamente aos filhotes através do que é conhecido como “leite de papo”, uma secreção produzida pelos pais em células presentes no papo. Esse “leite” contém importantes anticorpos que contribuem para o desenvolvimento do sistema imunológico dos filhotes.

Após cerca de quatro semanas, os filhotes começam a circular pela cidade, aprendendo a voar e explorando novos territórios. No entanto, apenas cerca de metade dos filhotes chega à fase adulta, enfrentando diversos desafios, como predadores e acidentes.

Riscos para os humanos

Embora os pombos sejam uma presença comum nas cidades, é importante estar ciente dos possíveis riscos para a saúde humana. O contato direto com as fezes dos pombos pode transmitir doenças como a criptococose, uma micose sistêmica causada por fungos presentes nas fezes das aves.

foto de um pombo filhote

Segundo Evaldo Stanislau, médico infectologista e professor da Anhembi Morumbi, o risco de infecção aumenta em ambientes fechados e em contato frequente com os animais. Medidas como a higienização adequada dos locais onde os pombos se concentram e o uso de máscaras de proteção podem ajudar a reduzir esses riscos.

O fascinante Mundo desses pássaros urbanos

Pombos urbanos, com sua presença onipresente em praticamente todas as cidades do mundo, são frequentemente vistos como pragas ou simplesmente ignorados como parte da paisagem urbana. No entanto, por trás dessa familiaridade aparentemente mundana, há um mundo intrigante e complexo que merece ser explorado e compreendido.

Os habitantes invisíveis

Embora os pombos adultos possam ser facilmente avistados nas ruas e praças, os filhotes permanecem em grande parte invisíveis para o observador casual. Essa aparente ausência de filhotes de pombos levanta questões sobre seu ciclo de vida e comportamento reprodutivo, intrigando muitos que se perguntam por que não os veem circulando pela cidade.

A vida nos ninhos

A resposta para esse mistério reside no hábito dos pombos de manter seus filhotes em áreas isoladas e protegidas. Durante aproximadamente 40 dias, os filhotes permanecem nos ninhos, onde são alimentados pelos pais com uma substância conhecida como “leite de papo”. Essa secreção, rica em nutrientes essenciais, é produzida pelas glândulas dos pais e fornece aos filhotes a nutrição necessária para seu desenvolvimento.

Aprendendo a voar

Após esse período de incubação nos ninhos, os filhotes começam a explorar o mundo exterior. Aprender a voar é uma etapa crucial nesse processo de independência. Inicialmente, os filhotes permanecem próximos aos ninhos, praticando suas habilidades de voo e familiarizando-se com o ambiente ao seu redor.

Os desafios da vida urbana

No entanto, a vida nas cidades apresenta uma série de desafios para os jovens pombos. Predadores naturais, como falcões e corujas, representam uma ameaça constante, assim como os perigos artificiais, incluindo colisões com janelas e fios elétricos. Muitos filhotes não sobrevivem a esses desafios, contribuindo para a aparente escassez de jovens pombos nas áreas urbanas.

O papel dos pombos nas cidades

Apesar de sua reputação como pragas urbanas, os pombos desempenham um papel importante nos ecossistemas urbanos. Além de servirem como fonte de alimento para aves de rapina e ajudarem na dispersão de sementes, os pombos também podem servir como indicadores da saúde ambiental das cidades.

Conclusão

O mistério dos filhotes de pombos nas cidades pode ser explicado pela maneira como a espécie se reproduz e cuida de sua prole. Ao manter os filhotes em áreas isoladas e protegidas, os pombos garantem a sobrevivência da espécie em ambientes urbanos. No entanto, é importante lembrar dos possíveis riscos para a saúde humana e tomar as precauções necessárias ao lidar com esses animais.

Em suma, embora os filhotes de pombos possam não ser facilmente avistados nas ruas das cidades, sua presença e seu papel no ecossistema urbano são significativos.

pombo
...