Paraná vai ofertar 8 mil vagas em cursos de qualificação profissional em 215 cidades

O Governo do Paraná, por intermédio da Secretaria de Estado do Trabalho, Qualificação e Renda, vai ofertar 8.108 vagas em cursos de capacitação profissional dentro do projeto Qualifica Paraná 2024. Até o final deste ano, 220 localidades no Paraná serão contempladas com as unidades móveis de ensino do Senai-PR. O investimento do Estado em formação profissional para o mercado de trabalho será de R$ 16,9 milhões.

O projeto conta com 13 cursos direcionados ao preenchimento de vagas de emprego em diversos segmentos da economia: automação, confecção, elétrica automotiva, informática, instalações elétricas, mecânica industrial, manutenção de motocicletas, manufatura aditiva e prototipagem, mecânica automotiva, panificação, refrigeração, solda e usinagem.

Os cursos, divididos em turmas no período da tarde e da noite, possuem carga horária de 96 horas, certificado emitido pelo Senai e estão distribuídos em 215 municípios. O cronograma dos cursos está disponível e as inscrições podem ser feitas pela internet através do site www.qualificacao.pr.gov.br. A página também possui informações sobre todos os projetos de qualificação profissional ofertados pela Secretaria de Estado do Trabalho, Qualificação e Renda, por cidade e também data de início.

O projeto ainda prevê um subsídio de R$ 600 para cada aluno matriculado e com frequência regular. O pagamento, que será feito em duas parcelas, leva em consideração as despesas decorrentes do período de formação, como alimentação e transporte.

Maior do Brasil: governador confirma novo Piso Regional, que vai de R$ 1,8 mil a R$ 2,1 mil
Paraná é o 6º estado com mais domicílios e o 3º com mais estabelecimentos de saúde
Para o secretário de Estado do Trabalho, Qualificação e Renda, Mauro Moraes, o pagamento de uma bolsa de estudos é mais que um estímulo para a conclusão do curso. Segundo ele, na maioria dos casos, é a única forma que o aluno tem de arcar com as despesas de locomoção e alimentação.

“A bolsa resolve um problema enfrentado pela maioria dos trabalhadores que buscam melhorar suas condições de trabalho e salário, que é o custeio das despesas típicas de um estudante, como o transporte e um lanche. Além disso, as turmas vespertinas são as que mais sofrem com a evasão, pois muitos alunos, por necessidade, acabam desistindo do curso para fazer algum trabalho temporário”, comentou.

Ainda de acordo com o secretário, a distribuição dos cursos atende a critérios técnicos definidos entre secretaria, município e uma análise do mercado de trabalho. “Fizemos um criterioso levantamento das demandas de cada região, apurando as dificuldades das empresas em contratar mão de obra especializada para indicar formações adequadas”, pontuou. “O Paraná é um dos grandes empregadores do País e acreditamos que vamos chegar ao fim do ano com dados ainda melhores”.

...