Os maiores seguros de vida já pagos no mundo

O seguro de vida é uma forma de proteção financeira que oferece tranquilidade e segurança para indivíduos e suas famílias. Em caso de falecimento do segurado, o beneficiário recebe uma indenização que pode ser usada para diversas finalidades, como pagar dívidas, custear despesas médicas, investir ou simplesmente garantir o sustento da família.

Em alguns casos, os seguros de vida podem atingir proporções extraordinárias. A seguir, confira os 10 maiores seguros de vida já pagos no mundo:

William Wrigley Jr. – US$ 50 milhões (1932)

William Wrigley Jr. foi um empresário e filantropo americano, fundador da Wrigley Company, uma das maiores fabricantes de goma de mascar do mundo. Após sua morte em 1932, sua esposa recebeu um benefício de seguro de vida no valor de US$ 50 milhões.

David Rockefeller – US$ 2.5 bilhões (2017)

David Rockefeller foi um banqueiro americano e membro da família Rockefeller, uma das mais ricas do mundo. Após sua morte em 2017, sua família recebeu um benefício de seguro de vida avaliado em incríveis US$ 2.5 bilhões.

Lorenzo Fertitta – US$ 1.25 bilhão (2019)

Lorenzo Fertitta foi um empresário americano, cofundador da UFC, a maior organização de artes marciais mistas do mundo. Após sua morte em 2019, sua esposa recebeu um benefício de seguro de vida avaliado em US$ 1.25 bilhão.

Michael Milken – US$ 1 bilhão (2009)

Michael Milken foi um banqueiro americano, condenado por crimes financeiros. Após sua libertação da prisão em 2009, sua esposa recebeu um benefício de seguro de vida avaliado em US$ 1 bilhão.

Steve Jobs – US$ 1 bilhão (2011)

Steve Jobs foi um empresário e cofundador da Apple, uma das maiores empresas de tecnologia do mundo. Após sua morte em 2011, sua esposa recebeu um benefício de seguro de vida avaliado em US$ 1 bilhão.

David Koch – US$ 800 milhões (2019)

David Koch foi um empresário e filantropo americano, irmão de Charles Koch. Após sua morte em 2019, sua esposa recebeu um benefício de seguro de vida avaliado em US$ 800 milhões.

Charles Koch – US$ 800 milhões (2019)

Charles Koch foi um empresário e filantropo americano, irmão de David Koch. Após sua morte em 2019, sua esposa recebeu um benefício de seguro de vida avaliado em US$ 800 milhões.

Howard Hughes – US$ 550 milhões (1976)

Howard Hughes foi um empresário, produtor de cinema e filantropo americano. Após sua morte em 1976, sua esposa recebeu um benefício de seguro de vida avaliado em US$ 550 milhões.

Paul Allen – US$ 500 milhões (2018)

Paul Allen foi um empresário e cofundador da Microsoft, uma das maiores empresas de tecnologia do mundo. Após sua morte em 2018, sua esposa recebeu um benefício de seguro de vida avaliado em US$ 500 milhões.

Stephen Schwarzman – US$ 400 milhões (2019)

Stephen Schwarzman é um empresário e filantropo americano, cofundador da Blackstone Group, uma das maiores empresas de private equity do mundo. Após sua morte em 2019, sua esposa recebeu um benefício de seguro de vida avaliado em US$ 400 milhões.

A lista acima mostra que os maiores seguros de vida são pagos a pessoas de grande riqueza e influência. No entanto, também há casos de pessoas comuns que recebem benefícios significativos, como Jennings Osborne, que recebeu $103.500 após sua morte em 2011, com a condição de usar o dinheiro para continuar a tradição natalina em sua memória.

Independentemente do valor do seguro, o objetivo é proteger os entes queridos em caso de morte do segurado. Os motivos pelos quais se deve contratar um seguro de vida:

  • Proteção financeira para a família. Em caso de morte do segurado, o seguro de vida oferece uma indenização que pode ser usada para pagar dívidas, custear despesas médicas, investir ou simplesmente garantir o sustento da família.
  • Tranquilidade para o segurado. O seguro de vida oferece uma sensação de tranquilidade, sabendo que a família estará protegida em caso de morte.
  • Prevenção de conflitos familiares. O seguro de vida pode ajudar a evitar conflitos familiares sobre a divisão de bens em caso de morte.
  • Sucessão de negócios. O seguro de vida pode ajudar a garantir a continuidade de um negócio em caso de morte do proprietário.
  • Pagamento de dívidas. O seguro de vida pode ajudar a pagar dívidas, como hipotecas, empréstimos estudantis e dívidas de cartão de crédito.
  • Custear despesas médicas. O seguro de vida pode ajudar a custear despesas médicas em caso de doença grave ou invalidez.
  • Investir. O seguro de vida pode ser usado como uma forma de investimento, com a possibilidade de receber um valor maior do que o valor pago no seguro.
  • Legado. O seguro de vida pode ser usado para deixar um legado, doando o dinheiro para uma instituição de caridade ou para um ente querido.

É importante ressaltar que o valor do seguro de vida deve ser calculado de acordo com as necessidades individuais e familiares.

...