Músicas que todo sulista raiz é obrigado a conhecer

A música é um elemento vital na cultura sulista, servindo como um elo que une as tradições, a história e a identidade da região. Para os sulistas “raiz”, certas canções transcendem o mero entretenimento, tornando-se emblemas de orgulho e expressão cultural. Estas músicas, variando desde clássicos do sertanejo até hinos do tradicionalismo gaúcho, são mais do que apenas melodias; são narrativas que contam histórias de amor, luta, festividades e a profunda conexão com a terra. Conhecer essas canções é quase um rito de passagem, uma forma de preservar e honrar o legado sulista.

“Do Fundo da Grota” – Baitaca

“Do Fundo da Grota”, interpretada pelo icônico Baitaca, é uma verdadeira joia da música regional sulista, capturando a essência da vida campeira com autenticidade e emoção. Esta canção é um retrato fiel do cotidiano, das tradições e dos valores do povo do sul do Brasil, celebrando a simplicidade da vida rural, o amor pela terra e a importância das raízes culturais. Com sua melodia envolvente e letra rica em imagens do campo, “Do Fundo da Grota” não é apenas uma música; é uma viagem ao coração da identidade sulista, obrigatória para todos aqueles que desejam compreender e sentir o verdadeiro espírito do sul do país.

“A Lua e a Noite” – Brilha Som

“A Lua e a Noite”, interpretada pela banda Brilha Som, é uma canção que se destaca no cenário musical do Sul do Brasil, trazendo o ritmo contagiante e as letras apaixonadas que são características marcantes do grupo. Esta música, com sua melodia harmoniosa e letras que falam de amor e saudade, ressoa profundamente com o público sulista, evocando sentimentos de nostalgia e conexão com as noites sulistas enluaradas. A canção é um convite para se deixar levar pelos encantos da noite, celebrando os momentos de alegria e contemplação que ela oferece. “A Lua e a Noite” é mais do que uma música; é um hino ao romantismo e à beleza das paisagens noturnas do Sul, consolidando-se como uma obra obrigatória na playlist de quem aprecia a riqueza da música regional.


“É Disso Que o Velho Gosta” – Gaucho da Fronteira; Part. Especial Chitãozinho e Xororó

“É Disso Que o Velho Gosta”, na voz inconfundível de Gaucho da Fronteira e com a participação especial de Chitãozinho e Xororó, é uma das canções mais emblemáticas do repertório tradicionalista do Sul do Brasil. Esta música celebra com alegria e bom humor os prazeres simples da vida campeira, desde a boa música até as tradições que definem a identidade sulista. A colaboração entre esses gigantes da música brasileira traz uma mistura única de ritmos e estilos, enriquecendo a já vibrante cena musical do sul.

2 2

“De Chão Batido” – Os Serranos

“De Chão Batido”, interpretada por Os Serranos, é uma expressão autêntica da música tradicionalista gaúcha, que celebra a cultura e as tradições do Rio Grande do Sul com vigor e autenticidade. A banda, conhecida por sua habilidade em capturar a essência do espírito gaúcho, oferece nesta canção uma homenagem ao estilo de vida simples e às raízes profundas da região sulista.

“O Pau Que Dá Cavaco” – João Luiz Corrêa & Grupo Campeirismo

“O Pau Que Dá Cavaco”, interpretada por João Luiz Corrêa & Grupo Campeirismo, é uma vibrante representação da música nativista gaúcha, que combina humor, ritmo contagiante e um profundo apreço pelas tradições do Rio Grande do Sul. João Luiz Corrêa, um dos nomes mais respeitados na cena musical do sul, é conhecido por sua habilidade em misturar elementos tradicionais com uma apresentação moderna e acessível, tornando a cultura gaúcha atraente para novas gerações.

“Vou pra Santa Catarina” – Terceira Dimensão

“Vou pra Santa Catarina”, interpretada pela banda Terceira Dimensão, é uma canção que celebra o encanto e a beleza do estado de Santa Catarina, tornando-se um hino para aqueles que têm um carinho especial pela região. Com seu ritmo animado e letras que falam de viagem e aventura, essa música captura a essência da alegria e do espírito acolhedor característicos do povo catarinense.

...