Merenda escolar tem aprovação superior a 84% entre os estudantes e pais no Paraná

A qualidade da merenda escolar ofertada em toda a rede estadual é amplamente aprovada por pais e alunos. A pesquisa de satisfação feita pelo Instituto Paraná Pesquisas aponta que 89,5% dos alunos do ensino fundamental, 84,4% dos estudantes do médio e 89% dos pais e responsáveis aprovam a alimentação oferecida nas 2,2 mil escolas. A sondagem também aponta que mais de 90% dos pais e alunos estão satisfeitos com a rede estadual.

A merenda envolve três refeições por turno no Paraná, uma mudança implementada a partir do programa Mais Merenda, em 2022. As escolas servem desde então um lanche na entrada e outro na saída de cada turno, além das refeições já oferecidas.

Considerando os 200 dias letivos, foram ofertados, apenas em 2023, 154 milhões de lanches. Essa expansão foi bem recebida por 53,7% dos pais, que relatam na pesquisa uma melhora no atendimento.

Em 2023, a rede estadual adquiriu mais de 30 mil toneladas de produtos – quase o dobro de 2021 (17,5 mil). Somente em carnes (bovina, suína, aves e peixes) o salto foi de 1,4 mil kg para 9 mil kg no mesmo período, quase sete vezes mais. A proteína está presente nos cardápios das escolas três dias da semana, com opções variadas: carne bovina, peixe, frango e cortes de carne de porco.

Uma boa parte da merenda é abastecida pela agricultura familiar: são 11 mil toneladas de todos os produtos, entre ovos, frutas, verduras, hortaliças. A utilização de orgânicos também ganha corpo todos os anos.

O controle de qualidade é feito pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) e o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (Fundepar), que mantêm uma sólida parceria para a análise técnica dos gêneros alimentícios adquiridos.

Alunos recebendo merenda da escola
Rede estadual de ensino do Paraná celebra Dia Nacional da Alimentação Escolar com investimento em merenda

O contrato prevê a inspeção das embalagens e a realização de ensaios laboratoriais. São analisados desde alimentos perecíveis, como carnes e ovos, a não perecíveis como arroz, feijão, macarrão, bolachas e sucos. Alguns produtos adquiridos da agricultura familiar, como iogurte, sucos, ovos, também passam pela avaliação.

“O governo estadual garante saúde para os estudantes, com três refeições por turno escolar, o que também incentiva o desenvolvimento social e sustentável de mais de 20 mil famílias de agricultores no Paraná”, afirma o secretário estadual de Educação, Roni Miranda. 

O Paraná é um dos estados que mais investe em merenda da rede estadual. “Temos que atuar para que a merenda passe por um rigoroso controle de qualidade no momento da aquisição, no armazenamento e na distribuição para levar mais e mais saúde aos estudantes.

Bem alimentados eles têm mais condições de aprendizado”, complementa Eliane Teruel Carmona, diretora-presidente do Fundepar, responsável por todo o processo de aquisição e distribuição dos alimentos nas escolas.

A nutricionista responsável técnica do Estado, Andrea Bruginski, lembra que a merenda escolar faz parte da segurança alimentar de crianças e adolescentes. Para auxiliar no preparo da merenda, a equipe de nutricionistas do Fundepar envia periodicamente sugestões de cardápios e fichas técnicas das carnes para as escolas, para que os produtos sejam servidos conforme o planejamento.

Na imagem esta mostrando 3 panelas de merenda escolar, uma de arroz, uma de feijão, e uma de alface
Pinhais, 27 de outubro de 2022 – Merenda escolar no Colégio Estadual Humberto Alencar Castelo Branco. Foto: Roberto Dziura Jr./AEN

“O programa de alimentação escolar é o maior de segurança alimentar do Estado. Disponibilizar alimentação saudável e adequada aos alunos significa garantir alimentação a 9,7% da população. Ela supre, no mínimo, 30% da necessidade nutricional de nossos alunos. São ofertados, a cada refeição, alimentos saudáveis. São muitas frutas, legumes, verduras, arroz, feijão, carne, pães, leite. Comida de verdade”, completa.

A estudante Isadora de Faria Achlagenhaufer, de 15 anos, que está no segundo ano do Ensino Médio do Colégio Cívico-Militar Manoel A. Guimarães, em Curitiba, adora as refeições. “Sabe quando a gente fala que comida feita com amor é muito mais saborosa? A gente sente isso.

De manhã, quando chego na escola, já é servida uma refeição e tem um café com leite que eu adoro. Depois tem macarrão com carne, feijoada, saladas, batata-doce, sopa de feijão, arroz com farofa de ovo, arroz com feijão e linguiça. Todo mundo ama”, afirma.

A “tia da escola” é a merendeira Inês de Vasconcelos, servidora pública há 31 anos. Ela destaca o carinho com que prepara as refeições dos estudantes. “Sempre procuro saber o que eles mais gostam de comer. Arroz e feijão, salada, carne, macarrão.

E eles amam macarrão e polenta com molho. No café da manhã eles gostam muito de café com leite, achocolatado, bolachinha salgada, pão. Eu procuro fazer tudo bem gostoso e com muito carinho”, conta. 

Essa metodologia paranaense ainda foi destacada pelo Ministério da Educação na semana passada. Em série de lançamentos estaduais do programa Pé-de-Meia, o ministro da Educação, Camilo Santana, passou no Paraná e elogiou o modelo estadual. “O Paraná tem uma experiência importante porque sabe a importância da alimentação escolar. Isso mexe com a autoestima do aluno, com a qualidade da aprendizagem”, afirmou.

siga google news disparada 1 143
...