Marília Mendonça lidera o ranking de artistas mais ouvidos em 2023

Quase três anos após sua morte, Marília Mendonça continua sendo uma presença marcante e querida entre os brasileiros. O legado musical deixado pela cantora se mostra imortal, como evidenciado na mais recente lista divulgada pela Pro-Música e o IFPI, as entidades representantes da indústria fonográfica brasileira e mundial. No topo das 200 faixas mais ouvidas em 2023, encontra-se “Leão”, lançada de maneira póstuma por Marília. Essa faixa emocionante é parte do álbum “Decretos Reais”, que chegou aos serviços de streaming em maio de 2023, marcando o primeiro trabalho póstumo da cantora, que deixou um repertório pronto antes de sua partida.

O sertanejo, um gênero tão arraigado na cultura musical brasileira, reafirma sua influência ao dominar o top 10 da lista. Em segundo e terceiro lugares, encontramos duas representantes desse gênero, Ana Castela e Simone Mendes. As únicas exceções a esse domínio são “Lapada Dela”, dos pagodeiros do Grupo Menos É Mais com Matheus Fernandes, e “Tá Ok”, de Dennis e Kevin o Chris, que conseguiram se destacar entre as faixas mais ouvidas.

A Internacionalização Limitada e o Brilho de Ana Castela

Contrastando com a predominância do sertanejo, a música internacional teve uma presença modesta no mercado fonográfico brasileiro em 2023. Segundo a Pro Musica, 93,5% das 200 faixas mais ouvidas são de artistas nacionais. A melhor posição entre as músicas internacionais ficou com “Flowers”, single de Miley Cyrus, que ocupa a 43ª posição.

Destaque merecido vai para Ana Castela, que emergiu como uma das grandes estrelas da lista. Conhecida como a boiadeira, Ana conquistou o público desde 2022, quando a faixa “Pipoco”, em colaboração com Melody, começou a viralizar. Em 2023, ela conquistou um feito impressionante ao emplacar 16 músicas entre as 200 mais ouvidas do país, sendo “Nosso Quadro” sua melhor colocada, na segunda posição.

O Crescimento Impulsionado pelo Streaming

Além dos destaques individuais, a pesquisa revela um crescimento significativo do mercado fonográfico brasileiro em comparação com a média global. O país atingiu a marca de R$ 2,8 bilhões em valores totais, representando um aumento de 13,4% em relação ao ano anterior. Essa ascensão coloca o Brasil em uma respeitável 9ª posição no ranking mundial da IFPI.

Marília Mendonça
Marília Mendonça (Foto: Reprodução / Instagram)

Esse crescimento é impulsionado pela ascensão imparável do streaming, que agora representa impressionantes 87,1% do consumo dos usuários. Para Paulo Rosa, presidente da Pro-Música, essa tendência é um fenômeno com espaço para expandir ainda mais. Ele atribui o crescimento estagnado do mercado brasileiro durante os anos 1990 à pirataria, destacando como o streaming ressuscitou a indústria fonográfica.

O Legado de Marília Mendonça: O Domínio do Sertanejo e a Revolução do Streaming

Em um cenário onde Marília Mendonça continua a ser venerada, o sertanejo reina supremo, com Ana Castela brilhando como uma das novas sensações da música brasileira. Enquanto isso, o crescimento exponencial do mercado fonográfico é impulsionado pela revolução do streaming, que democratiza o acesso à música e alimenta a indústria com um novo fôlego. No Brasil, a música é mais do que uma paixão, é uma força cultural que continua a moldar e refletir a identidade nacional. E com artistas como Marília Mendonça e Ana Castela liderando o caminho, o futuro da música brasileira promete continuar a emocionar e inspirar.

Em um cenário onde Marília Mendonça continua a ser venerada, o sertanejo reina supremo, com Ana Castela brilhando como uma das novas sensações da música brasileira. Enquanto isso, o crescimento exponencial do mercado fonográfico é impulsionado pela revolução do streaming, que democratiza o acesso à música e alimenta a indústria com um novo fôlego.

No Brasil, a música é mais do que uma paixão, é uma força cultural que continua a moldar e refletir a identidade nacional. Com artistas como Marília Mendonça e Ana Castela liderando o caminho, o futuro da música brasileira promete continuar a emocionar e inspirar.

Porém, é importante também reconhecer a diversidade musical presente no país, que vai além do sertanejo e abraça uma variedade de estilos e artistas. Essa riqueza cultural é o que torna a música brasileira tão vibrante e única. À medida que avançamos para o futuro, devemos celebrar essa diversidade e apoiar o crescimento contínuo de nossa indústria musical, garantindo que todos os talentos tenham espaço para brilhar e que a música continue a ser uma fonte de conexão e expressão para todos os brasileiros.

siga google news disparada 1 129
...