Maior achado arqueológico da história de Foz do Iguaçu revela a rica cultura dos povos primitivos

Enquanto a modernidade avança com a construção da nova ponte que ligará Foz do Iguaçu, no Brasil, a Presidente Franco, no Paraguai, uma equipe de arqueólogos fez uma descoberta fascinante que nos leva de volta no tempo. Sítios arqueológicos com mais de quatro mil anos foram encontrados nas áreas onde ocorrem as obras de acesso à nova ponte. Essas descobertas revelam uma rica história de povos antigos que habitaram a região próxima à confluência dos rios Iguaçu e Paraná.

No total, foram identificados quatro locais de interesse arqueológico, onde os arqueólogos encontraram uma variedade de utensílios que pertenciam aos povos que viveram na região em épocas remotas. Fragmentos de cerâmica, ferramentas de pedra e pontas de lanças estão entre os artefatos descobertos. Alguns desses objetos estavam à superfície, enquanto outros foram encontrados a uma profundidade de aproximadamente 10 centímetros. Esses achados revelam um vislumbre intrigante das culturas que deixaram sua marca nas margens desses rios.

A arqueóloga Tatiana Costa Fernandes enfatiza que os artefatos encontrados eram usados por povos de épocas diferentes, o que sugere uma longa história de ocupação humana na região. Essas descobertas são de grande importância, pois lançam luz sobre a riqueza cultural e histórica da área que agora abrigará a nova ponte. É um testemunho da diversidade de povos que deixaram sua herança na região das Cataratas do Iguaçu.

Foz do Iguaçu é uma região marcada não apenas pela relação internacional devido à proximidade com o Paraguai, mas também pela presença indígena, especialmente a presença Guarani, que ainda é muito forte. Essas descobertas arqueológicas fornecem um contexto histórico mais profundo para a compreensão da presença e da cultura indígena na região.

Os arqueólogos continuam seu trabalho nas áreas de construção da nova ponte, pois até o término das obras podem surgir novas revelações sobre os primeiros habitantes da região. Essa busca pela história é uma exigência legal e faz parte do processo de licenciamento ambiental. Além disso, os achados arqueológicos estão agora em uma exposição aberta ao público.

A exposição gratuita está sendo realizada no piso L2 do Shopping Catuaí Palladium até 22 de junho. Os visitantes têm a oportunidade de ver de perto os fragmentos da história revelados por essas descobertas arqueológicas. É uma oportunidade única de conectar-se com o passado da região e apreciar a riqueza da herança cultural que está sendo preservada e compartilhada com o público.

As descobertas arqueológicas nas áreas de construção da nova ponte de Foz do Iguaçu oferecem uma perspectiva fascinante sobre os povos antigos que habitaram essa região. Com fragmentos de cerâmica, ferramentas de pedra e pontas de lanças, esses artefatos nos permitem viajar no tempo e apreciar a diversidade cultural e histórica da área. A exposição pública proporciona uma oportunidade valiosa para compartilhar essas descobertas com o público e celebrar a riqueza do patrimônio cultural da região. À medida que as pesquisas continuam, podemos esperar que mais segredos da história de Foz do Iguaçu sejam revelados.

...