Estudos de ferramentas antigas apontam para um item que pode ter 35 mil anos

A corda é uma das ferramentas mais antigas e fundamentais já utilizadas pela humanidade. Sua história remonta a milhares de anos e desempenhou um papel crucial na vida diária de muitas civilizações antigas.

Os registros mais antigos do uso de cordas remontam a aproximadamente 6.000 anos atrás, quando os egípcios as utilizavam na construção das grandes pirâmides. Desenhos encontrados em tumbas egípcias retratam o transporte de enormes pedras com o auxílio de cordas. Essas cordas eram feitas de fibras vegetais e desempenharam um papel essencial na realização dessas construções monumentais.

No entanto, o uso de cordas é ainda mais antigo do que os egípcios. Fragmentos fósseis descobertos em cavernas datam de aproximadamente 17.000 anos atrás, revelando que as pessoas pré-históricas já tinham conhecimento sobre como fazer cordas. Essas cordas eram feitas de materiais naturais, como fibras vegetais e tendões de animais.

Por volta de 2.800 a.C., na China, ocorreu um avanço significativo no conhecimento sobre a fabricação de cordas. Os chineses dominaram o uso de fibras de cânhamo de qualidade superior na produção de cordas. Essas cordas eram conhecidas por sua durabilidade e resistência, tornando-se valiosas tanto para uso prático quanto para aplicações militares.

Uma descoberta notável relacionada ao uso de cordas ocorreu durante escavações na caverna Hohle Fels, no sul da Alemanha. Esta caverna é associada à cultura Aurignaciana do período Paleolítico Superior e é um importante sítio arqueológico. Os pesquisadores reuniram fragmentos de marfim de mamute encontrados no local para reconstruir uma ferramenta quase intacta para fazer cordas. Esta ferramenta tinha aproximadamente 20 centímetros de comprimento e apresentava quatro furos circulares, cada um com uma ranhura em espiral.

A datação por radiocarbono revelou que esta ferramenta de marfim de mamute foi criada entre 35 mil e 40 mil anos atrás. Isso a associa à antiga cultura aurignaciana da Eurásia, que se destacou pela diversificação e especialização de ferramentas. Acredita-se que essa ferramenta tenha sido usada para alinhar, torcer e combinar fibras vegetais, a fim de criar cordas. Esse achado demonstra a habilidade técnica e a importância das cordas na vida cotidiana das antigas culturas.

Os bastões perfurados, como a ferramenta encontrada na caverna Hohle Fels, são objetos de debate entre os estudiosos. Alguns sugerem que as ranhuras encontradas nesses artefatos podem ser resultado de modificações nos furos, enquanto outros acreditam que eles tinham propósitos funcionais na fabricação de cordas. Além disso, a possibilidade de esses artefatos terem sido símbolos de autoridade ou itens rituais também foi considerada.

Para entender melhor o propósito da ferramenta de marfim de mamute, os pesquisadores realizaram experimentos de fabricação de cordas. Eles usaram réplicas de antigas ferramentas de quatro furos feitas de diversos materiais, como madeira, ossos de animais e bronze. O processo envolveu a inserção de tendões de animais e fibras vegetais nos orifícios das ferramentas, seguido pela torção e combinação dessas fibras para criar cordas. Esses experimentos demonstraram a viabilidade do uso dessas ferramentas na produção de cordas.

A corda é uma ferramenta que desempenhou um papel crucial ao longo da história da humanidade. Desde os egípcios até as antigas culturas europeias, sua utilidade na construção, transporte e diversas atividades cotidianas é inegável.

A descoberta da ferramenta de marfim de mamute na caverna Hohle Fels destaca a habilidade técnica das civilizações antigas em fabricar cordas e lança luz sobre a importância dessa ferramenta na vida pré-histórica. A história da corda é um testemunho da criatividade e da engenhosidade humanas ao longo dos séculos.

...