Descobertas revelam arte rupestre de nativos americanos

Pesquisadores da Universidade Jaguelônica, da Polônia, desvendaram segredos ancestrais ao descobrirem uma impressionante variedade de petróglifos e galerias no complexo de Castle Rock Pueblo, localizado na fronteira entre as regiões do Colorado e Utah, nos Estados Unidos. Estas fascinantes peças de arte rupestre, datadas de diferentes períodos históricos, lançam nova luz sobre as comunidades nativas que habitaram a região ao longo dos séculos.

Revelações nas Paredes dos Cânions

O professor Radosław Palonka, líder da equipe de arqueólogos europeus que realizou as escavações, expressou o impacto significativo das descobertas deste ano. “Nossas descobertas mudaram completamente nossa percepção dessa área de assentamento em muitos aspectos diferentes”, declarou Palonka em um comunicado oficial. O Castle Rock Pueblo, conhecido por suas galerias e petróglifos, é um local de grande importância arqueológica, atraindo tanto arqueólogos quanto turistas.

Petróglifos Desconhecidos Surpreendem

A equipe de pesquisa identificou petróglifos previamente desconhecidos a aproximadamente 800 metros acima dos assentamentos em penhascos. Essas gravuras rupestres revelam a habilidade das comunidades nativas americanas em realizar observações astronômicas, utilizando os petróglifos para marcar eventos importantes no calendário, como solstícios de verão e inverno, e equinócios de primavera e outono.

Cultura Pueblo e suas Complexidades

A cultura Pueblo, representada pelas comunidades agrícolas nativas americanas, remonta a quase 3 mil anos. “As comunidades Pueblo desenvolveram uma das culturas pré-colombianas mais avançadas da América do Norte”, ressaltou Palonka. Suas habilidades incluíam a construção de casas de pedra de vários andares, assemelhando-se a estruturas medievais ou blocos de apartamentos mais modernos.

Além da arquitetura inovadora, as comunidades Pueblo eram conhecidas por sua arte rupestre, joias elaboradamente ornamentadas e cerâmicas decoradas com motivos pintados em pigmento preto sobre fundo branco.

Arte Rupestre que Conta Histórias

Entre as descobertas mais notáveis está uma gravura que representa guerreiros e xamãs, datada do século 3, durante a “Era Basketmaker”. A maioria dos petróglifos encontrados pelos arqueólogos remonta aos séculos 12 e 13, exibindo uma variedade de desenhos que incluem formas geométricas intrigantes.

As imagens também retratam a evolução das representações ao longo dos séculos. Durante o período habitado pela tribo Ute, entre os séculos 15 e 17, os painéis passaram a exibir cenas de caça, representando carneiros da montanha, veados e bisões. À medida que os séculos avançavam, a influência espanhola na área era evidenciada pelos retratos de cavalos. As artes rupestres mais recentes incluem a assinatura de 1936 de Ira Cuthair, um caubói conhecido também no Arizona e no Novo México.

Reflexões sobre o Passado

As descobertas recentes proporcionam uma visão mais profunda da rica história das comunidades que habitaram a região de Castle Rock Pueblo. A complexidade de suas práticas religiosas, evidenciada pelos painéis externos, desafia as interpretações anteriores. O professor Palonka enfatiza que “definitivamente, subestimamos o número de habitantes que viviam aqui no século 13 e a complexidade de suas práticas religiosas”.

O legado dessas comunidades nativas americanas é agora mais vívido do que nunca, graças às escavações meticulosas e à interpretação cuidadosa dos vestígios deixados nas paredes dos cânions. As descobertas continuam a expandir nosso entendimento da história americana, revelando os ricos tesouros culturais que permanecem enterrados nas camadas do tempo.

...