Descoberta notável desenterra duas antigas espadas romanas na Inglaterra

Uma descoberta arqueológica rara e de grande importância recentemente ocorreu no distrito de Cotswold, na Inglaterra. Durante um comício de detectores de metais no norte de Cotswolds, Glenn Manning teve a incrível sorte de desenterrar duas espadas de cavalaria romana, juntamente com os restos de suas bainhas e acessórios de madeira. Além disso, uma tigela quebrada feita de liga de cobre e outros itens relacionados ao armamento também foram encontrados. Essa notável descoberta lança luz sobre o passado romano da região e oferece uma visão fascinante de eventos ocorridos há quase 2.000 anos.

O Conselheiro Paul Hodgkinson expressou seu entusiasmo em relação a essa descoberta surpreendente, afirmando: “Esta nova descoberta destaca a incrível profundidade histórica que Cotswold possui. As pessoas costumam perguntar: ‘O que os romanos fizeram por nós?’. Bem, eles acabaram de nos presentear com alguns exemplos surpreendentes de armas que foram usadas há quase 2.000 anos, quando Cirencester era a segunda maior cidade da Grã-Bretanha. Este é verdadeiramente um achado arqueológico notável, e mal podemos esperar para que os visitantes o vejam em exibição nos próximos anos.”

As espadas, após sua descoberta, foram submetidas a avaliação pelo professor Simon James, da Universidade de Leicester, um especialista em história romana. Ele confirmou que essas armas são espadas romanas imperiais médias, frequentemente chamadas de “spatha”, que estavam em uso no mundo romano provavelmente a partir de 160 d.C., estendendo-se até o final do século II e possivelmente no século III d.C. O comprimento considerável das espadas sugere que eram armas de cavalaria, destinadas especificamente para uso a cavalo.

espadas 1

O professor James também destacou que não era ilegal para civis possuir e transportar tais armas durante o período romano, uma vez que as províncias romanas frequentemente enfrentavam ameaças de banditismo. Isso lança uma nova luz sobre a necessidade de autodefesa e segurança pessoal na época, revelando a complexidade da vida cotidiana na Grã-Bretanha romana.

Quando questionado sobre paralelos com descobertas similares, o professor James declarou: “Em termos de paralelos, não consigo pensar em nenhuma outra situação na Grã-Bretanha romana em que mais de uma espada tenha sido depositada juntamente em circunstâncias semelhantes. O exemplo mais próximo que me ocorre é um par de espadas semelhantes encontradas em Canterbury, com seus proprietários enterrados de cabeça para baixo em um buraco dentro das muralhas da cidade. Isso foi claramente um enterro clandestino, quase certamente associado a um duplo assassinato.”

Imediatamente após a descoberta, Kurt Adams, oficial de ligação de descobertas, tomou medidas para garantir a preservação desses artefatos históricos. As espadas, junto com os outros itens encontrados, foram depositadas no Museu Corinium, onde serão cuidadosamente conservadas.

A organização Inglaterra Histórica também se envolveu na pesquisa, garantindo que as espadas sejam submetidas a análises detalhadas de raios-X para revelar informações adicionais sobre sua origem e condição. Além disso, uma avaliação arqueológica no local de escavação no norte de Cotswolds está planejada, na esperança de fornecer um contexto mais claro para a presença dessas espadas na região. Atualmente, permanece um mistério o motivo pelo qual esses artefatos foram enterrados em Cotswolds, e a pesquisa adicional pode trazer respostas fascinantes.

Para aqueles que desejam explorar mais sobre a história de Cotswolds e testemunhar essas descobertas incríveis, o Museu Corinium é um destino imperdível. A exposição desses artefatos históricos oferecerá aos visitantes a oportunidade de se conectar com o passado distante e entender melhor a rica herança romana da Grã-Bretanha. Para obter mais informações sobre a história de Cotswolds e planejar sua visita ao Museu Corinium, visite o site oficial em coriniummuseum.org.

...