Como funciona o túnel subaquático que vai ser feito no Brasil

A construção do túnel subaquático que conectará Santos a Guarujá, no litoral de São Paulo, representa um marco na engenharia brasileira. Este será o primeiro túnel do tipo na América do Sul e promete facilitar o transporte entre as duas cidades, além de contar com infraestrutura para pedestres, ciclistas e até um Veículo Leve Sob Trilhos (VLT).

O túnel subaquático terá cerca de 21 metros de profundidade e passará por baixo do canal do Porto de Santos. Um dos principais desafios é garantir que o fluxo de navios não seja interrompido durante a construção. No entanto, segundo especialistas, a tecnologia para construção de túneis submersos é segura e consolidada. Os métodos empregados já foram utilizados em outras partes do mundo, garantindo a viabilidade e a segurança da obra.

Para viabilizar a construção, serão utilizados seis módulos pré-moldados com concreto armado, que serão transportados até o local da obra. Esses módulos serão submergidos gradualmente e encaixados para formar o túnel. Todo o processo será feito sem que os módulos sejam inundados, garantindo a estabilidade e a segurança da estrutura.

O método de construção do túnel subaquático em Santos se assemelha ao utilizado no Eurotúnel, que liga a França ao Reino Unido sob o canal da Mancha. Apesar das diferenças de escala, ambos os túneis utilizam módulos pré-fabricados e são considerados marcos da engenharia moderna. Outros exemplos de túneis subaquáticos ao redor do mundo também são mencionados para contextualizar a importância e a complexidade dessa obra.

O túnel subaquático que ligará Santos a Guarujá representa um avanço significativo na infraestrutura brasileira. Além de facilitar o transporte entre as duas cidades, essa obra será um exemplo da capacidade da engenharia nacional em enfrentar desafios complexos. Com tecnologia e expertise, o Brasil demonstra mais uma vez sua capacidade de realizar projetos de grande porte e impacto.

...