Arqueólogos e indígenas desvendam o propósito obscuro por trás de desenhos rupestres de 50 mil anos

A arte rupestre pré-histórica é uma janela para o passado distante, revelando aspectos da vida e da cultura das civilizações antigas. Um novo estudo científico lançou luz sobre um elemento comum em muitas tradições de arte rupestre em todo o mundo: rastros de animais e pegadas humanas. Com foco na Namíbia, onde a arte rupestre é especialmente rica, este artigo explorará as descobertas fascinantes que surgiram da análise dessas gravuras misteriosas.

A Namíbia é conhecida por sua riqueza em arte rupestre, especialmente da Idade da Pedra Tardia, com inúmeras gravuras detalhadas de pegadas de animais e humanas. Neste estudo inovador, pesquisadores se voltaram para rastreadores indígenas do deserto de Kalahari para colaborar na análise das pegadas em arte rupestre nas montanhas de Doro Nawas, no centro da Namíbia Ocidental. O objetivo era identificar não apenas as espécies e gêneros representados, mas também faixas etárias e até mesmo a perna específica correspondente às impressões.

Os rastreadores indígenas desempenharam um papel fundamental na análise das gravuras, identificando características específicas nas pegadas. Surpreendentemente, a pesquisa revelou que mais de 90% das 513 gravuras analisadas continham informações detalhadas sobre as pegadas. Isso incluía não apenas a espécie de animal ou a pegada humana, mas também informações sobre gênero, faixa etária e perna correspondente.

Uma das descobertas mais intrigantes foi que a arte rupestre pré-histórica exibia uma maior diversidade na representação de trilhas de animais do que na representação dos próprios animais. Os gravadores demonstraram uma clara preferência por certas espécies e eram mais propensos a representar animais adultos em oposição aos juvenis. Além disso, as pegadas masculinas eram mais frequentes do que as femininas nas gravuras humanas.

As descobertas revelam padrões discerníveis nas gravuras de rastros de animais e pegadas humanas, que provavelmente resultam de preferências culturalmente influenciadas. No entanto, o significado preciso desses padrões permanece um mistério. O estudo lança luz sobre a complexidade das sociedades antigas e suas relações com a natureza e o mundo animal.

A arte rupestre pré-histórica é uma fonte inestimável de informações sobre as culturas e as sociedades antigas. O estudo realizado na Namíbia demonstra como a colaboração entre pesquisadores e rastreadores indígenas pode revelar detalhes fascinantes sobre as gravuras de rastros de animais e pegadas humanas. As preferências e padrões encontrados nas gravuras oferecem insights sobre a relação entre os antigos habitantes da Namíbia e a natureza ao seu redor. À medida que a pesquisa continua, podemos esperar desvendar mais segredos e nuances da arte rupestre e da cultura pré-histórica em todo o mundo.

...