A prisão de um vovô que pode ter sido o terrível serial killer Golden State

Por anos, um serial killer e estuprador aterrorizou o estado da Califórnia, deixando um rastro de morte, trauma e medo. Com mais de 12 assassinatos, 45 estupros e mais de 120 roubos residenciais atribuídos a ele, o criminoso parecia escapar das garras da justiça.

No entanto, em 24 de abril de 2018, tudo mudou. Joseph James DeAngelo, de 72 anos, foi preso e finalmente identificado como o temido Golden State Killer. Neste artigo, vamos explorar os eventos que levaram à prisão desse assassino em série e estuprador, trazendo alívio às vítimas e suas famílias.

O Golden State Killer, como ficou conhecido, aterrorizou a Califórnia durante uma década, entre 1976 e 1986. Seus métodos brutais e sádicos deixaram uma marca indelével nas comunidades afetadas. Suas vítimas eram mulheres sozinhas em casa, mulheres com filhos e até mesmo casais, que eram estuprados e, muitas vezes, assassinados. O criminoso foi habilmente evitando a captura, e as autoridades tinham poucas pistas sólidas para segui-lo.

Após anos de investigação, os detetives finalmente obtiveram uma pista crucial para identificar o Golden State Killer: o DNA do criminoso encontrado nas cenas dos crimes. Essa evidência genética se tornou a chave para sua prisão. No entanto, identificar o culpado ainda era um desafio, pois o assassino não tinha seu DNA registrado em bancos de dados criminais.

A reviravolta no caso veio quando os investigadores da polícia adotaram uma abordagem inovadora. Eles enviaram o DNA do suspeito, coletado nas cenas do crime, para o site de pesquisa genealógica Ancestry.com, não como detetives, mas como clientes regulares. Usando correspondências de DNA com parentes desconhecidos, eles começaram a montar “árvores genealógicas” que os aproximaram do verdadeiro Golden State Killer.

Em 24 de abril de 2018, a investigação culminou na prisão de Joseph James DeAngelo, um ex-policial de 72 anos. O xerife do condado de Sacramento anunciou a prisão, revelando que a vigilância e o uso de DNA descartado levaram à identificação do criminoso. Para as vítimas e suas famílias, essa prisão representou o fim de décadas de angústia e incerteza.

A prisão de DeAngelo enviou ondas de alívio por toda a Califórnia. Vítimas e suas famílias finalmente viram justiça sendo feita. Jennifer Carole, filha das vítimas Lyman e Charlene Smith, expressou seu choque ao descobrir que o assassino estava vivo e vivia entre eles em Sacramento. A comunidade agora pode começar a curar as feridas deixadas por anos de medo e tragédia.

O interesse público no caso do Golden State Killer foi reacendido graças ao livro “I’ll Be Gone in the Dark: A Busca Obsessiva de uma Mulher pelo Assassino do Golden State”. Escrito por Michelle McNamara e concluído por uma jornalista após sua morte, o livro lançou luz sobre os crimes e a busca incessante por justiça. O legado de McNamara é uma parte importante dessa história.

...