5 motivos que jogam Memórias Póstumas de Brás Cubas no topo de vendas da Amazon

Memórias Póstumas de Brás Cubas, escrito por Machado de Assis, é uma obra-prima da literatura brasileira que, recentemente, alcançou um feito notável: a tradução para o inglês, realizada por Flora Thomson-DeVaux e publicada pela Penguin Classics, chegou ao primeiro lugar nas vendas da Amazon na categoria de literatura latino-americana e caribenha.

Este sucesso inesperado deve muito a uma resenha viral da influenciadora norte-americana Courtney Henning Novak no TikTok, que destacou a genialidade do romance e a sua nova favorita entre as leituras.

Nos últimos dias, Memórias Póstumas de Brás Cubas ganhou uma popularidade inesperada, superando clássicos consagrados como Amor nos Tempos do Cólera, de Gabriel García Márquez, e até mesmo O Idiota, de Fiodor Dostoiévski, erroneamente classificado no site como literatura latino-americana.

Como já dissemos, essa explosão de sucesso aconteceu após uma resenha entusiasmada de Courtney Henning Novak, uma influenciadora literária com uma base de seguidores considerável no TikTok. Courtney elogiou a obra de Machado de Assis, descrevendo-a como “provavelmente meu novo livro favorito” e expressando seu desejo de explorar mais literatura brasileira.

O papel das redes sociais na disseminação e popularização de obras literárias não pode ser subestimado. A resenha de Novak no TikTok rapidamente se tornou viral, alcançando milhões de visualizações e estimulando a curiosidade de leitores ao redor do mundo.

Este fenômeno demonstra o poder das mídias sociais em criar tendências literárias e reviver clássicos esquecidos. A recepção calorosa da tradução de Memórias Póstumas de Brás Cubas mostra como uma recomendação influente pode transformar o destino de uma obra literária, trazendo-a para o centro das atenções globais.

A qualidade da tradução de Flora Thomson-DeVaux foi amplamente reconhecida como um fator crucial para o sucesso do livro. Traduzir a prosa complexa e irônica de Machado de Assis é uma tarefa desafiadora, e Thomson-DeVaux conseguiu capturar a essência e o humor sutil do original. Sua tradução foi elogiada por críticos e leitores, garantindo que a magia da narrativa de Machado fosse preservada para o público de língua inglesa. A habilidade de Thomson-DeVaux em transmitir a riqueza cultural e as nuances da obra contribuiu significativamente para a recepção positiva da tradução.

Machado de Assis é amplamente considerado um dos maiores escritores brasileiros, e sua obra continua a ser relevante e impactante. Segundo a professora Andréa Sirihal Werkema, do Instituto de Letras da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Machado é um cronista da realidade brasileira do século XIX, mas seus temas são universais e atemporais. A crítica social, a ironia mordaz e a exploração das complexidades humanas presentes em Memórias Póstumas de Brás Cubas ressoam profundamente com leitores modernos, proporcionando uma experiência literária enriquecedora.

Machado de Assis é um autor que transcende fronteiras culturais e linguísticas. Sua habilidade de mobilizar um vasto patrimônio literário, incorporando citações e referências a inúmeros autores, torna sua obra uma verdadeira colcha de retalhos literária que encanta leitores de todas as partes do mundo. Andréa Werkema destaca que, apesar de ser um escritor negro num país que escravizava pessoas negras, Machado conseguiu se tornar um representante literário de grande renome. Sua visão perspicaz e crítica sobre a sociedade e a condição humana continua a surpreender e inspirar leitores, mostrando que sua obra possui um frescor e uma relevância duradouros.

O sucesso recente de Memórias Póstumas de Brás Cubas na Amazon é um testemunho da genialidade de Machado de Assis e da importância da tradução de qualidade para a disseminação de obras literárias. Graças à influência das redes sociais e à excelência da tradução de Flora Thomson-DeVaux, este clássico da literatura brasileira ganhou uma nova vida e conquistou leitores ao redor do mundo.

A narrativa inovadora e a crítica social afiada de Machado continuam a ressoar profundamente, reafirmando seu status como um dos maiores escritores de todos os tempos. A ascensão de Memórias Póstumas de Brás Cubas ao topo das vendas demonstra que a boa literatura é atemporal e capaz de transcender barreiras culturais, inspirando novas gerações de leitores a cada dia.

5 motivos que elevam Memórias Póstumas de Brás Cubas

Além da resenha favorável, Brás Cubas tem outros méritos. Enumeramos cinco razões que fizeram desse clássico brasileiro um verdadeiro fenômeno, demonstrando sua contínua relevância e impacto na literatura e na sociedade contemporânea.

1. A redescoberta

Nos últimos tempos, houve uma onda de redescoberta de clássicos literários, impulsionada por iniciativas educacionais e culturais que promovem a leitura de obras consagradas. Memórias Póstumas de Brás Cubas, com seu estilo irreverente e inovador, capturou a atenção de novos leitores.

2. Atualidade das temáticas abordadas

Machado de Assis, com sua genialidade, abordou temas que, mesmo após mais de um século, permanecem atuais. Questões como a hipocrisia social, a corrupção, a busca pelo poder e a efemeridade da vida ressoam fortemente nos dias de hoje.

3. Influência das mídias sociais

As redes sociais desempenham um papel crucial na disseminação de informações e tendências. Perfis dedicados à literatura e influenciadores digitais, como de Courtney Henning Novak, têm recomendado Memórias Póstumas de Brás Cubas, gerando uma onda de interesse e curiosidade.

4. Adaptações e releituras na cultura pop

Memórias Póstumas de Brás Cubas foi adaptado para diferentes formatos, como séries, filmes e peças teatrais. Essas adaptações trazem a obra para um novo contexto, permitindo que ela alcance um público que talvez não tivesse interesse inicial pela leitura.

5. Iniciativas educacionais e acadêmicas

Memórias Póstumas de Brás Cubas também ganhou destaque em ambientes acadêmicos e educacionais. Programas de estudo que valorizam a literatura brasileira, cursos online sobre clássicos da literatura e projetos de leitura em escolas e universidades têm contribuído significativamente para o aumento da procura pela obra.

Os 10 principais livros de Machado de Assis

Quem já leu o conto O Alienista é apaixonado por Machado de Assis. E este, todo mundo que já passou por um banco de escola já sabe, é amplamente reconhecido como um dos maiores escritores da literatura brasileira.

Sua obra é vasta e variada, abrangendo romances, contos, crônicas e poesias. Abaixo, apresentamos uma lista dos dez principais livros de Machado de Assis que são essenciais para compreender a genialidade e a profundidade de seu trabalho.

1. Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881)

Considerado por muitos como a obra-prima de Machado de Assis, este romance inovador é narrado por um defunto-autor, Brás Cubas. A narrativa não-linear e a crítica social mordaz fazem deste livro uma leitura indispensável.

2. Dom Casmurro (1899)

Dom Casmurro é talvez o romance mais famoso de Machado de Assis, conhecido pela ambiguidade em torno do suposto adultério de Capitu. A profundidade psicológica e o estilo narrativo envolvente tornam este livro um clássico atemporal.

3. Quincas Borba (1891)

Este romance continua a história do personagem homônimo do conto “O Alienista”. Quincas Borba é uma sátira da sociedade e da filosofia, explorando temas como a loucura e a condição humana.

4. Esaú e Jacó (1904)

Neste romance, Machado de Assis narra a história dos gêmeos Pedro e Paulo, cujas vidas são marcadas por rivalidades e disputas. A obra explora temas como identidade, destino e dualidade.

5. Memorial de Aires (1908)

O último romance de Machado de Assis é uma reflexão madura sobre a vida e a passagem do tempo. Através dos diários do conselheiro Aires, o autor explora temas de saudade, amizade e resignação.

6. Papéis Avulsos (1882)

Esta coleção de contos inclui algumas das melhores narrativas curtas de Machado de Assis, como “O Alienista” e “A Chinela Turca”. Os contos são conhecidos por sua ironia fina e crítica social.

7. Histórias Sem Data (1884)

Outra importante coleção de contos, Histórias Sem Data inclui obras como “A Igreja do Diabo” e “Missa do Galo”. Machado explora a complexidade das relações humanas e as contradições da sociedade.

8. Várias Histórias (1896)

Esta coletânea de contos apresenta histórias como “O Espelho” e “Mariana”. Os contos são caracterizados por suas reflexões filosóficas e observações perspicazes sobre a natureza humana.

9. Páginas Recolhidas (1899)

Uma coleção de textos diversos que inclui contos, crônicas e ensaios. Páginas Recolhidas é uma amostra abrangente do talento de Machado de Assis como observador da sociedade e mestre da prosa.

10. Contos Fluminenses (1870)

Este é um dos primeiros trabalhos de Machado de Assis, uma coletânea de contos que já revela seu talento para a narrativa curta e sua capacidade de capturar a vida e os costumes do Rio de Janeiro do século XIX.

...